Home Notícias Agropecuária

08.11.2018


Veja quem é e o que pensa a ministra da Agricultura de Bolsonaro

Natural de Campo Grande (MS) e formada em engenharia agronômica, a deputada Tereza Cristina lidera a Frente Parlamentar da Agropecuária no Congresso e tem posicionamentos firmes sobre temas que envolvem o setor

 

 

(*Foto: Divulgação)

 

Com 64 anos de idade e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) desde fevereiro de 2018, a deputada do Democratas de Mato Grosso do Sul Tereza Cristina é a primeira ministra mulher do governo Bolsonaro, confirmada nesta quarta-feira, dia 7, como a futura ministra da Agricultura.

 

Em entrevista exclusiva ao Canal Rural quando assumiu a FPA, no início do ano, a parlamentar falou sobre as prioridades de sua gestão e como conciliar as demandas e um calendário apertado.

 

Natural de Campo Grande (MS) e formada em engenharia agronômica pela Universidade Federal de Viçosa (MG), a deputada federal Tereza Cristina ocupou como gerente-executiva quatro secretarias: Planejamento, Agricultura, Indústria, Comércio e Turismo. No último ano, ocupou a liderança do PSB na Câmara dos Deputados.

 

Ela também foi secretária estadual de Desenvolvimento Agrário até 2014. No ano passado, foi líder da bancada do PSB na Câmara dos Deputados, mas, após divergências com a cúpula do partido, rompeu com a sigla e ingressou no Democratas.

 

A FPA é composta por 27 senadores e 209 deputados federais e conta com o apoio de mais de 40 entidades do agronegócio. A nova ministra já está envolvida em temas relevantes para o setor, tanto que foi a relatora do projeto de lei que criou o programa de renegociação para as dívidas do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural).

 

“Nós tivemos grandes conquistas e as pessoas têm que valorizar o trabalho da FPA, que conquistou 1,5% da nova alíquota e o pagamento sobre a folha a partir de 2019. Talvez essa seja a maior conquista e eu não tenho visto ninguém fazer disso um grande ganho que nós tivemos”, disse Tereza Cristina na ocasião.

 

Veja, abaixo, o posicionamento da parlamentar sobre os principais temas do agronegócio:

 

Crédito Rural

 

“Nós temos que batalhar hoje sobre isso. Temos que baixar os juros, precisamos achar alguma maneira de ter mais crédito compatível com a nossa atividade. Hoje o crédito para o produtor rural não é mais diferenciado".

 

Código Florestal

 

“Precisa sair da pauta e ser votado para o produtor rural saber como é que ele vai ter que trabalhar esse assunto. Também é preciso definir se os estados vão poder legislar, pois nós temos o CAR (Cadastro Ambiental Rural), o PRA (Programa de Regularização Ambiental). Tudo isso depende dessa votação que nós temo que fazer rapidamente, ainda no primeiro semestre deste ano”

 

Questão indígena

 

"Acho que nós temos que votar urgentemente. Ela resolve o grande problema que é o produtor que teve a sua área invadida, para que ele possa receber pela sua área e não ser expropriado, como acontece atualmente"

 

Crise do leite

 

“Isso atinge uma grande maioria de pequenos produtores que vivem dessa atividade e que hoje não está mais conseguindo sobreviver. Então, o Brasil precisa de uma política pública para esse segmento e essa será uma bandeira nos problemas que a FPA tem como prioridade”

 

Venda de terras para estrangeiros

 

"Eu sou a favor, mas o que temos que tomar um pouco de cuidado é na questão de concorrência na parte de alimentos, mas acho que o texto é bom e temos que brigar para que ele seja votado o mais rápido possível"

 

(*Fonte: Canal Rural)

 

Comentários


Edições


Confira todas as edições

28 3553-2333

28 99976-1113

jornalismo@safraes.com.br

 

Av. Espírito Santo, 69 - 2º Pavimento - CEP: 29.560-000 - Guaçui - ES

© Revista Safra. Todos os direitos reservados.

 

 

Todas as postagens do site SAFRA ES podem ser reproduzidas gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte: Site Revista SAFRA ES.