Seg, 18 de Nov
×

Busca

governo - banestes

Agricultura familiar


Propriedade em Cariacica é exemplo de agricultura familiar e produção orgânica

Por Coordenação de Comunicação e Marketing do Incaper
16/09/2019 15h27
Atualizado em 17/09/2019 10h59

O sítio de Kemisson Geraldo Scalzer recebeu os integrantes do projeto HorizontES em Extensão. (*Foto: Divulgação Incaper)

Caminhar pela propriedade de Kemisson Geraldo Scalzer, em Cariacica, é conhecer na prática diversos conceitos relacionados à agricultura familiar. O agricultor e a família cultivam frutas em sistema orgânico, criam gado e têm duas agroindústrias: uma para produzir pães, bolos e biscoitos e outra para produzir queijo.

Com uma mesa farta de café da manhã, Kemisson recebeu os integrantes do projeto HorizontES em Extensão desenvolvido pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). O projeto levou à propriedade do agricultor uma comitiva formada por representantes de diversas instituições.

As delícias servidas aos convidados são cultivadas e processadas ali mesmo no sítio. “Nós, simples produtores, estamos muito felizes e honrados com a presença de tanta gente importante aqui”, diz o agricultor, revelando a humildade de quem não se envaidece com os próprios méritos.

Kemisson e a família eram as pessoas mais importantes naquele encontro. Sentado ao lado do pai, ele começa a contar a própria história aos visitantes. Kemisson trabalhou como meeiro, tornou-se atravessador, colocando-se entre o produtor rural e o comerciante varejista, mas sempre teve um sonho a mais.

“Eu trabalhava em Santa Teresa como meeiro, aí saí. Eu lembro até hoje, foi no dia que o Brasil perdeu a Copa do Mundo para a França, em 1998. Trabalhei de atravessador na Ceasa, comprava de um e tentava vender mais caro para outro para ganhar alguma coisa. Mas eu tinha que apertar muito o produtor, não achava isso bom. Foi quando Deus me deu a oportunidade”, diz.

Para ele, não bastava ser agricultor. Era preciso produzir alimentos saudáveis, beneficiar os produtos ali mesmo na propriedade, envolver toda a família toda e comercializar diretamente ao consumidor final. Até que o sonho de Kemisson tornou-se realidade.

Ele adquiriu a propriedade rural de quatros hectares em Cariacica e hoje pratica agricultura sustentável na região Metropolitana da Grande Vitória. Kemisson fez questão de manter o nome que o antigo dono tinha dado à propriedade, que traduzia justamente os anseios do agricultor. Atualmente, o Sítio Um Sonho a Mais é administrado por Kemisson, com a ajuda dos pais, da esposa e dos filhos dele. “Eu gostei do nome e resolvi deixar”, diz.

A diversificação está presente na lavoura, onde são plantadas banana, acerola e aipim. “Essa banana Janaúba precisa de muito insumo, não dá para mim. Vou plantar a banana Vitória, que inclusive foi o Incaper que desenvolveu, porque ela é mais resistente”, menciona em meio ao bananal extinto, referindo-se às ações integradas de pesquisa, assistência técnica e extensão rural desenvolvidas pelo Instituto.

O empreendedorismo se mostra nas agroindústrias e nas ações de comercialização, por meio de políticas públicas como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), eventos e feiras. “Eu acho que a única barraca de feira que não leva um item de outro produtor é a minha. Eu só levo o que eu produzo”, orgulha-se.

A sucessão familiar encontra-se no envolvimento dos filhos do agricultor. “Meu pai e minha mãe estão fazendo queijo. Meu filho de 15 anos está na feira vendendo. Minha filha Mayara levou ele de carro. Minha esposa está na outra agroindústria e eu estou aqui recebendo vocês. Mas normalmente estou cuidando da plantação, das vacas”, detalha Kemisson.

E a sustentabilidade permeia todos os contextos, explicitando-se no manejo orgânico e agroecológico adotado na propriedade. “Ordenho as vacas duas vezes por dia. O leite vai para agroindústria para virar queijo. Cuido do esterco que elas produzem e uso para jogar na plantação. Isso daqui é uma das vantagens de a gente ter o esterco como ‘compost’. Olha a textura que o esterco fica! A gente mexe ele duas vezes por dia e o esterco fica soltinho! Isso aqui, para as nossas lavouras, é excelente” afirma enquanto esfarinha com as mãos o adubo fininho que acabou de produzir e que, em breve, será depositado no pé de cada planta que cultiva.

O Projeto HorizontES em Extensão

A experiência de Kemisson Geraldo Scalzer pode servir de exemplo para outras famílias rurais do Espírito Santo, pois agrega, em uma pequena propriedade, práticas relacionadas a empreendedorismo, sustentabilidade, cultivo orgânico, pecuária, agroindústria, geração de emprego e renda. Por isso foi selecionada para participar do projeto HorizontES em Extensão, que pretende mostrar 11 experiências de relevância para o desenvolvimento rural capixaba.

Kemisson participa do Grupo de Agricultores Agroecológicos de Cariacica e faz parte da Associação de Produtores Rurais de Boa Vista. “Ele é atendido pelo Incaper e pela Seag, que o estimulam a produzir de forma orgânica e comercializar nas feiras da Grande Vitória. Assim consegue sustentar com qualidade a sua família e ainda gerar postos de trabalho na propriedade de apenas quatro hectares” analisa o extensionista do Incaper e coordenador do Centro Regional de Desenvolvimento Rural (CRDR) Metropolitano, Luiz Carlos Leonardi Bricalli.

O extensionista do Escritório Local de Desenvolvimento Rural (ELDR) do Incaper em Cariacica, Leonardo Moreira Borges de Souza, lembra que o instituto presta assistência à propriedade do agricultor há algum tempo. “Tem dois anos que estamos no município acompanhando o Kemisson, mas o trabalho começou lá atrás com o colega Edegar Formentini, que já se aposentou”, conta ao lado do colega Haroldo Mascarenhas da Silva.

A indicação da propriedade do agricultor Kemisson Geraldo Scalzer para receber a comitiva do HorizontES em Extensão foi elogiada pelo Secretário de Agricultura e Pesca de Cariacica, Carlos Ceschin. “Foi uma feliz escolha. No passado, o Kemisson utilizou a agricultura convencional. Depois passou para o orgânico mais a agroindústria. É um trabalho brilhante, um marco para Cariacica. Kemisson representa os nossos melhores agricultores”, destaca o secretário.

O representante da Seag, Luciano Fazolo, complementa: “Acompanhamos o Kemisson há algum tempo e somos testemunhas de toda essa transformação. O poder público é facilitador deste processo. Este conjunto de instituições presentes aqui neste momento está justamente reconhecendo esses resultados”, afirma.

“Viemos até aqui para mostrar o quanto a Ceasa pode ser útil na comercialização, orientando quanto à rastreabilidade, que é uma exigência nacional. Além disso, coordenamos o Núcleo de Atendimento ao contribuinte (NAC), e podemos contribuir com preciosas informações sobre a nota fiscal do produtor”, pontua o representante da Ceasa, Marcos Magalhães.

Segundo o superintendente federal do Mapa, Aureliano Nogueira da Costa, a visita à propriedade do Kemisson mostra a importância das parcerias. “Temos que reconhecer a importância das ações estratégicas das instituições e do agricultor. Estes resultados belíssimos apresentados aqui são fruto de um esforço coletivo. Em um único momento, estão reunidas todas as entidades públicas ligadas à agricultura”, diz após animar os participantes ao som da concertina.

Para o diretor-técnico do Incaper, Nilson Araujo Barbosa, a integração das diversas instituições é o segredo do sucesso. “Ninguém faz nada sozinho. Todos temos desafios, orçamentários inclusive, e as parcerias são fundamentais para todos os envolvidos. O Incaper tem uma rede de parceiros e profissionais que garante excelência aos trabalhos realizados. A atuação do Incaper está além da integração entre pesquisa, assistência técnica e extensão rural, e o HorizontES em Extensão traz todo esse arcabouço dentro de um contexto maior: beneficiar a sociedade capixaba como um todo”, conta.

A coordenadora do HorizontES em Extensão e Gerente de Assistência Técnica e Extensão Rural (Gater) do Incaper, Jaqueline Sanz, ratifica que é justamente este o propósito do projeto. “A proposta é dar visibilidade às ações que tenham relevância para o desenvolvimento rural capixaba. Todos os dias o Incaper constrói lindas ações junto à agricultura familiar do Espírito Santo. Neste momento, em outros municípios, estão existem várias outras experiências. A ideia do HorizontES é que estas experiências sejam conhecidas pelo maior número de pessoas, que sirvam de bons exemplos”, diz.

O projeto HorizontES em Extensão é viabilizado com recursos oriundos de um convênio estabelecido entre o Incaper e o Ministério da Agricultura, Pecuária de Abastecimento (Mapa). A parceria prevê, entre outras metas, a realização de ações no Programa de Aperfeiçoamento em Práticas e Projetos de Desenvolvimento Rural dos Agentes do Incaper.


Comentários Facebook

Entre em contato


28 3553-2333
28 99976-1113
jornalismo@safraes.com.br

Acompanhe-nos nas Redes Sociais


SafraES

© 2018 SafraES.
Todos os direitos reservados.

© 2019. Todas as postagens do site SAFRA ES podem ser reproduzidas gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte: Site Revista SAFRA ES.
Produção / Cadetudo Soluções Web