Dom, 16 de Jun
×

Busca

Cooperativismo


Selita é destaque na Exposul Rural 2019

Com estande de bezerras de alta performance provenientes do programa de melhoramento genético com fertilização in vitro e palestra com o médico veterinário Marcos Veiga, a cooperativa é destaque na maior feira do agronegócio capixaba

Por Assessoria de Imprensa
30/04/2019 17h21
Atualizado em 11/06/2019 17h22

Fotos: Divulgação

A Exposul Rural 2019 foi um sucesso, com a presença de um grande público e com diversas atrações para os visitantes. Um dos destaques da feira foi o estande onde foram apresentadas as bezerras do programa de melhoramento genético com fertilização in vitro, que tem a parceria da Selita com o Sebrae-ES. O espaço foi visitado pelo governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, pelo presidente do Sicoob Sul Rubens Moreira, pelo prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho, e pelo superintende do Sebrae-ES, Pedro Rigo.

Os produtores da região puderam acompanhar e conhecer a qualidade das bezerras e suas características morfológicas de animais de alta produção de leite. Foram expostas 50 bezerras de 21 cooperados, de um total de 500 bezerras nascidas até 2018. Esse programa foi implantado no início de 2017 e pelo seu baixo custo, que é subsidiado pela Selita e Sebrae-ES, permite que pequenos produtores possam participar do programa que para 2019 estão liberadas cerca de 2.200 prenhezes.

Para João Marcos Machado, presidente da Selita, é um trabalho de longo prazo e espera com isso estar desenvolvendo a pecuária. “Temos um treinamento que foi feito com os produtores para que eles desenvolvam a capacidade de criar esses animais. Mais importante que aumentar a produção, é fazer com que o produtor tenha uma produção sustentável, com um trabalho gerencial, zootécnico, para obter o melhor dos animais”.

“A importância desse programa é que isso chegou lá na roça com uma facilidade muito grande para nós, através da Selita/Sebrae. Isso vai levar um crescimento muito grande na produção de leite”, destacou o cooperado Manoel Pires, de Muniz Freire.

Os animais foram apresentados ao zootecnista e técnico de registro da Associação Girolando, Erico Ribeiro, que destacou o padrão das bezerras e parabenizou a Selita e ao Sebrae-ES por essa iniciativa tão importante para o melhoramento da qualidade do gado de leite do nosso Estado.

Para o cooperado Dulcino Lima é um projeto que ajudou muito os produtores da Selita. “Sou produtor há 20 anos e esse projeto com a Selita e o Sebrae é muito importante pra gente, que sem esse projeto a gente não conseguiria fazer essas bezerras. Se fosse particular seria muito caro, mas com essa parceria ficou bem viável pra gente”, finalizou Dulcino.

Outro destaque da feira foi a palestra do doutor Marcos Veiga, médico veterinário e doutor em Ciência dos Alimentos pela Universidade de São Paulo e professor titular do Departamento de Nutrição e Produção Animal (VNP) da FMVZ-USP, que falou da importância do tratamento da mastite na pecuária de leite.

Segundo o assessor da diretoria e gestor do projeto de pecuária de leite do Sebrae, Abdo Gomes, a capacitação das pessoas para fazer o que é certo na atividade é o que leva ao sucesso. “A gente tem a preocupação de convidar pessoas de nível, especialistas e pesquisadores que transmitem conhecimento para os produtores”, disse.

A palestra contou com um bom número de produtores que tiveram a oportunidade de conhecerem os vários aspectos da doença, que é considerada a principal doença da vaca leiteira, sendo que cerca de 30% a 40% têm mastite subclínica.

Edino Rainha, gerente de assistência ao cooperado da Selita, disse que essa palestra foi muito importante porque o maior desafio hoje da qualidade do leite está na doença das glândulas mamarias, relacionada à mastite. “É uma coisa que a gente vem batendo muito em cima, é difícil de se curar a mastite e demorada, tem que ter paciência e persistência, então a palestra é muito importante”, concluiu Edino.

“Um dos gargalos que atrapalham o produtor rural é a mastite e essa palestra veio para ajudar o produtor. Um simples detalhe que às vezes faz a diferença muito grande, não é gastar é investir”, ressaltou o cooperado da Selita Jacinto Natal Spoladore.

O doutor Marcos apresentou as causas da doença, efeitos e como fazer o tratamento adequado. Também destacou que o controle da mastite influencia diretamente em dois pontos: as vacas doentes produzem menos leite e o leite tem a sua qualidade alterada, por isso a importância do controle sistemático da doença. “A mastite é uma doença que não se consegue erradicar, por isso o produtor vai ter que conviver com ela afetando seu rebanho. É um controle que depende de medidas simples do dia a dia, mas não podem ser feitas de forma isoladas, ou seja, é um conjunto de medidas que devem ser feitas todos os dias, para reduzir e prevenir”, disse.

O técnico de registro da associação girolando e zootecnista Erico Ribeiro, falou sobre o projeto: “A importância desse projeto para a região é fundamental, é um projeto pioneiro, onde o Sebrae e a Selita fizeram uma parceria com as empresas de fornecimento de embrião e evoluíram e vão evoluir muito a produção dos animais. Os animais que estão aqui representam animais que têm toda tendência de alta produção e uma adaptação aqui que é uma região quente, mas uma região profundamente produtora de leite, esse projeto está de parabéns, e realmente os animais vão dar um bom suporte de produção de leite para os associados da Selita”, afirmou.


Comentários Facebook

Entre em contato


28 3553-2333
28 99976-1113
jornalismo@safraes.com.br

Acompanhe-nos nas Redes Sociais


SafraES

© 2018 SafraES.
Todos os direitos reservados.

© 2019. Todas as postagens do site SAFRA ES podem ser reproduzidas gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte: Site Revista SAFRA ES.
Produção / Cadetudo Soluções Web