Sex, 24 de Mai
×

Busca

Dia da Mulher


Aumenta número de mulheres no Ceasa

Conheça a história de trabalhadoras do local

Por Assessoria de Comunicação do Governo
12/03/2019 11h54
Atualizado em 22/03/2019 21h41

Divulgação

Elizia Foesch Krause é produtora rural assim como sua mãe, primas, tias e avós, é que em Santa Maria de Jetibá, município onde nasceu e mora, é comum a prática da agricultura familiar para o sustento da família. As mulheres cuidam dos lares, dos filhos e também trabalham nas lavouras para plantar e colher os alimentos que são vendidos na cidade.

A produtora que antes ajudava apenas na lavoura, hoje vai para Central de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa/ES) ajudar nas vendas e diz que adora trabalhar no local. “O segredo é amar o que faz, e eu tenho orgulho de ser produtora rural, e ajudar no sustento da minha família. Hoje venho para cá, tenho o respeito dos meus colegas de trabalho que não me desrespeitam por ser mulher, vendo os meus produtos e ganho o meu dinheiro”, conta a produtora.

A Ceasa abastece o Espírito Santo e parte da região Nordeste e Sudeste do país através de agricultores familiares e lojas atacadistas e o número de mulheres que trabalha no local só aumenta.

Empresária de sucesso

A empresária Zemar Trancoso seguiu os passos da mãe, que foi homenageada como a primeira mulher a ser comerciante na Ceasa/ES na década de 70. Zemar conta que ia para o mercado com a mãe, que vendia limão na “pedra alta” (local de venda dos comerciantes individuais) e mais tarde resolveu vender laranjas no mesmo local.

“Me casei e resolvi que iria continuar trabalhando na Ceasa/ES. Mas desta vez seria com laranja. Comecei a comprar e revender laranja, vinha com um fusca colorido emprestado e não tínhamos dinheiro para nada. Começamos a lucrar com as vendas, consegui dinheiro suficiente para abrir uma loja dentro da Ceasa, que carrega o meu nome. Hoje, depois de 27 anos, tenho 25 funcionários empregados e vendo laranjas para todo o Estado”, conta Zemar.

A empresária ainda ressalta que é respeitada no ambiente de trabalho como empresária e mulher. “Consegui chegar até aqui sendo mulher e sempre aconselho as mulheres a não desistirem, a lutarem pelos seus direitos, sua independência financeira e respeito”, disse.


Comentários Facebook

Entre em contato


28 3553-2333
28 99976-1113
jornalismo@safraes.com.br

Acompanhe-nos nas Redes Sociais


SafraES

© 2018 SafraES.
Todos os direitos reservados.

© 2019. Todas as postagens do site SAFRA ES podem ser reproduzidas gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte: Site Revista SAFRA ES.
Produção / Cadetudo Soluções Web