Ter, 13 de Abr
×

Busca

PREFEITURA CACHOEIRO 20 / 31 MARÇO

Meio Ambiente


Produtora investe no reflorestamento para recuperação de nascente com apoio do Reflorestar

Entre as espécies de mudas nativas plantadas na propriedade estão uma variedade diversa como embaúba, juçara, ipê, araucária, pau brasil, entre outras

Por Assessoria de Comunicação Social do Bandes
23/03/2021 9h23
Atualizado em 7/04/2021 19h01

A recuperação de áreas degradadas por meio do replantio e manutenção de florestas é uma das principais estratégias adotadas para a conservação de nascentes. No Espírito Santo, a conservação e a preservação das áreas verdes e do bom uso dos recursos hídricos têm como aliado o programa Reflorestar, do Governo do Espírito Santo, uma parceria entre a Secretaria de Meio Ambiente e de Recursos Hídricos (Seama) e o Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) como agente financeiro do programa.

Maria Aparecida na recuperação de sua propriedade e conservação da nascente localizada no terreno (Foto: divulgação/Bandes)



E na semana em que se comemora o Dia Mundial da Água - instituído no dia 22 de março pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) como forma de promover a conscientização e conservação do recurso -, a data é ideal para conhecer boas práticas adotadas por produtores capixabas. É o caso da produtora rural Maria Aparecida Moreti Pinheiro, do distrito de Monte Verde, município de Dores do Rio Preto, que contou com apoio do Reflorestar para investir na recuperação de sua propriedade e conservação da nascente localizada no terreno.

Para Maria Aparecida Pinheiro, a participação no programa pode potencializar o processo de construir uma minirreserva na propriedade. “Encantamo-nos com os benefícios do Programa Reflorestar que ampliamos por conta própria a área de preservação na propriedade para 11,43 hectares com mata nativa e árvores frutíferas”, destaca.

O Reflorestar tem o objetivo de manter, recuperar e ampliar a cobertura florestal adotando práticas de uso amigável dos solos. O pagamento dos serviços ambientais é mais uma alternativa de geração de oportunidades e renda para o produtor rural. Os valores variam de acordo com a modalidade de preservação e a extensão de área preservada. Ao banco capixaba cabe receber, intermediar e aplicar os recursos.

Para reflorestar uma nascente, é preciso planejamento para saber a quantidade certa de espécies nativas a serem plantadas no local (Foto: divulgação/Bandes)



A diretora de Operações do Bandes, Maria Emília Vieira, explica que o recurso chega ao produtor por meio de uma ação conjunta que envolve a Seama, com os recursos operacionalizados pelo banco.

“Para chegar aos produtores rurais, a equipe do Bandes utiliza uma rede de parceiros-consultores credenciados. Dessa forma, os projetos elaborados por esses profissionais estão mais próximos dos padrões técnicos adotados pelo banco, garantindo mais agilidade no processo de análise das propostas. Além disso, eles têm a obrigação de acompanhar a implantação e a execução dos investimentos nas propriedades. Assim, alinhamos boas práticas de gestão de um serviço público que permite a conservação dos recursos naturais e a geração de renda para os produtores”, pontua a diretora.

Boas práticas ambientais

Para reflorestar uma nascente, é preciso planejamento para saber a quantidade certa de espécies nativas a serem plantadas no local. A produtora Maria Aparecida tinha a ideia de ampliar a cobertura florestal na propriedade da família e buscou se cadastrar no programa reflorestar.

Segundo a produtora, a intervenção realizada, além de conservar a área verde da propriedade, fez com que os recursos hídricos aumentassem. “A quantidade de água na nascente aumentou substancialmente, podendo, agora, fornecer para propriedades de dois irmãos meus, que são vizinhos”, ressalta Maria Aparecida Pinheiro.

A produtora afirma ainda que esta melhora na gestão hídrica na propriedade fez com que nos períodos de menor incidência de chuvas, ela pudesse se organizar melhor. A produtora conservou a reserva de florestas plantadas, fez recuperação com plantio, esta última com a aquisição de insumos necessários para aquisição de mudas de espécies nativas de Mata Atlântica, e plantio de árvores frutíferas, que complementam a renda.

Entre as espécies de mudas nativas plantadas na propriedade estão uma variedade diversa como embaúba, juçara, ipê, araucária, pau brasil, cinco folhas, aroeira, jabuticaba, pitanga, pauferro, goiaba, pata de vaca, canafístula, cabeludinha, jacaré, entre outras.

Desempenho

No ano de 2020, o programa Reflorestar, por meio do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), liberou R$ 11,2 milhões, referentes a 2.200 parcelas de contratos de prestação de serviços ambientais para pequenos produtores capixabas. Os recursos têm como objetivo promover a restauração do ciclo hidrológico por meio da conservação e recuperação da cobertura florestal, com geração de oportunidades e renda para o produtor rural, estimulando a adoção de práticas de uso sustentável dos solos.


Comentários Facebook

Entre em contato


28 99976-1113
jornalismo@safraes.com.br

Acompanhe-nos nas Redes Sociais


SafraES

© 2018 SafraES.
Todos os direitos reservados.

© 2021. Todas as postagens do site SAFRA ES podem ser reproduzidas gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte: Site Revista SAFRA ES.
Produção / Cadetudo Soluções Web