Qua, 11 de Dez
×

Busca

Mulheres no Campo


Cores da Terra: pintando a vida de mulheres rurais capixabas

Por Coordenação de Comunicação e Marketing do Incaper
25/11/2019 16h13
Atualizado em 6/12/2019 11h33


Um painel foi pintado com as tintas do Projeto Cores da Terra no Polo da Universidade Aberta do Brasil, Centro de Mantenópolis.

As mulheres rurais capixabas já estão habituadas a extrair do solo uma diversidade enorme de alimentos. Mas, elas descobriram que a terra pode oferecer ainda mais: é da terra que elas extraem as cores que enfeitam as paisagens rurais e oferecem renda extra às famílias. Em Mantenópolis e Mucurici, mulheres rurais participaram de capacitações do projeto “Cores da Terra” e aprenderam as técnicas para a produção de tinta à base de terra. Os cursos e oficinas foram ministrados pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), em parceria com diversas instituições.

Mantenópolis

Em Mantenópolis, o curso do “Cores da Terra” foi parte das ações do projeto elas no Campo e na Pesca, coordenado pela Secretaria da Agricultura, Aquicultura, Abastecimento e Pesca (Seag). O treinamento foi voltado para um grupo de mulheres, do qual fazem parte algumas artesãs da região.

Segundo a economista doméstico do Incaper, Jozyellen Nunes da Costa, o curso cumpriu seu objetivo. “Além de divulgar o ‘Projeto Cores da Terra’, permitiu despertar no público-alvo os cuidados com o meio ambiente, saúde e economia, que é a proposta inicial do projeto por meio da fabricação da tinta da terra”, disse.

O curso foi realizado em três dias. Primeiramente, foi feita uma palestra de sensibilização com público, explicando o passo a passo da produção da tinta à base de terra. No segundo momento, foi feita a coleta da terra respeitando as particularidades ambientais, bem como a escolha de terras que, de fato, tinham características condizentes com a boa produção da tinta. Depois, foi a parte mais prática.

“A terra foi peneirada, como parte do processo de refinamento, para a produção de pequenas amostras de tinta. Por fim, os participantes puderam participar da pintura imobiliária no Polo da Universidade Aberta do Brasil, localizada no Centro de Mantenópolis. Lembrando que essa técnica pode ser aplicada em paredes das residências, construções rurais, dentre outras possibilidades, incluindo a utilização em artesanato”, acrescentou a economista doméstico do Incaper.

O coordenador do Incaper de Mantenópolis, Rodrigo Fernandes, complementou: "O projeto Cores da Terra, em Mantenópolis, teve o objetivo de integrar as ações educativas desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Secretaria de Educação e ações nas escolas, por meio da valorização dos recursos naturais, trabalhando importância do solo, o consumo consciente e a sustentabilidade, Além disso, buscou inserir essa técnica no projeto Cores que o município desenvolve junto com o artista plástico Edvandro Oliveira em residências de comunidades carentes do município”, lembrou.


Mucurici

Em Mucurici, a oficina do Projeto Cores da Terra foi realizada na Escola Municipal Pluridocente de Educação Infantil e Ensino Fundamental (EMPEIEF) Verino Sossai, localizada no Assentamento Córrego da Laje, e contou com a presença de 15 pessoas. Os participantes conheceram mais sobre o “Cores da Terra”, e produziram três cores de tinta que, no final, foram utilizadas para pintar uma parede.

“O objetivo foi reunir o público feminino e do projeto Dom Helder e mostrar a importância de utilizar um material do dia a dia que é a terra. Eles não esperavam que pudessem usar um material simples para fazer uma coisa esteticamente bonita”, afirmou o coordenador do Escritório Local de Desenvolvimento Rural (ELDR) do Incaper em Mucurici, Felipe Lopes Neves.

A oficina foi ministrada pela economista doméstico e extensionista do Incaper de São Mateus Fernanda Casagrande Macedo. “Os participantes gostaram muito, acharam que é uma tinta fácil de trabalhar, com material fácil de ser encontrado, com fácil preparo, baixo custo e beleza no resultado”, pontuou Fernanda.

Projeto Cores da Terra

O projeto “Cores da Terra” teve início em 2007, por meio de uma parceria entre o Incaper e a Universidade Federal de Viçosa (UFV). Implementado, principalmente, nas comunidades rurais, ensina uma técnica simples, criativa e sustentável, tendo como matéria-prima a terra de várias tonalidades. Quando misturada com os ingredientes água e cola, resulta em tintas de cores variadas. O material não é tóxico, apresenta boa qualidade e o custo é inferior ao da tinta convencional.

Elas no Campo e na Pesca

O “Projeto Elas no Campo e na Pesca” pretende executar ações integradas até o ano de 2022, com a divulgação dos resultados, fomento a projetos, sensibilização da sociedade, produção de materiais audiovisuais e conteúdos midiáticos, construção de um banco de dados com as necessidades encontradas, capacitação de técnicos, realização de seminários e publicação de um livro mostrando os resultados do projeto. Recentemente, o trabalho foi reconhecido na Plataforma de Conhecimentos sobre Agricultura Familiar da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). A plataforma tem uma seção dedicada às mulheres rurais.


Comentários Facebook

Entre em contato


28 3553-2333
28 99976-1113
jornalismo@safraes.com.br

Acompanhe-nos nas Redes Sociais


SafraES

© 2018 SafraES.
Todos os direitos reservados.

© 2019. Todas as postagens do site SAFRA ES podem ser reproduzidas gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte: Site Revista SAFRA ES.
Produção / Cadetudo Soluções Web